Doctor Who: Shada

by
“O universo é cheio de coisas maravilhosas e oportunidades fantásticas. E você tem que agarrá-las com ambas as mãos. E torcer para que nunca acabem”.
 
Sabe aquele livro apaixonante que você até fica triste por ele ter acabado? Então, esse foi Shada, um livro baseado em um episódio da série Doctor Who escrito pelo fabuloso Douglas Adams, o autor da série “O Guia do Mochileiro das Galáxias”, e que nunca chegou a ser completamente filmado, afinal, Douglas Adams não ficou satisfeito com o roteiro e nem teve tempo de reajustá-lo.
Assim, alguns anos depois, resgataram os escritos, e os reconstruíram, fazendo o que o autor Gareth Robert chama de “ajustes que o Douglas Adams queria ter feito”. E depois de uma leitura rápida e saborosa, posso afirmar que Douglas Adams realmente ficaria orgulhoso do resultado dessa experiência toda, afinal, Shada é incrível.
Sinopse: Vista e cultuada em mais de 200 países, a série de TV Doctor Who é um ícone cultural britânico que conquistou mais de 70 milhões de fãs em 50 anos de aventura.
O seriado acompanha o Doutor: um viajante misterioso, vindo do planeta Gallifrey, movido pelo desejo de explorar todos os cantos do tempo e do espaço. Um dos Senhores do Tempo, o Doutor é capaz de se regenerar para escapar da morte, mudando de corpo, rosto e personalidade. Com seus companheiros, humanos e alienígenas, ele protege a Terra e o cosmos contra perigos de todos os tipos.
Shada reconta um episódio que nunca foi transposto para as telas de televisão, uma aventura “perdida” de 1979. Escrita pelo então editor de roteiros da série, Douglas Adams, o autor de O guia do mochileiro das galáxias, Shada traz a quarta encarnação do Doutor e sua companheira Romana II.
Adorei muitas coisas do livro. Primeiramente, tenho que ressaltar que é maravilhoso sentir a aura do Doctor Who nesse 4º Doctor. Brincalhão, engenhoso e genial, conseguia imaginar bem as cenas e não teve como não se apaixonar por ele e seu cachecol esvoaçante. Fiquei morrendo de vontade de assistir a série clássica de Doctor Who para conhecê-lo melhor.
Outra observação é a companion do Doctor, Romana II, que mulher maravilhosa! É incrível poder ver uma Time Lady em ação.

Para uma amante da série nova, foi muito legal ver o antes da Guerra do Tempo, os senhores e senhoras do tempo e tudo mais. Os outros personagens foram maravilhosos também, dando destaque ao adorável senhor do tempo aposentado, o professor Chronotis.
O humor e a descrição impecável de Douglas Adams estavam presentes em cada uma das páginas do livro, e foi incrível como Gareth Robert conseguiu conservar essa essência toda do arco original.
Também teve um lance bem interessante: estava eu de boa lendo quando me deparo com vilões chamados de PÁRIAS, gente, lembrei do “Como Treinar Seu Dragão” no mesmo instante, eles também tem uns vilões que são chamados assim. É bem legal esse tipo de coincidência (será mesmo coincidência?).
“Ah é, segui– lo. Vamos chamar um táxi e gritar para o motorista: “Siga aquela TARDIS”.
 
Shada é aquele livro que todo mundo pode ler. Não precisa ser fã de Doctor Who nem amante do Douglas Adams, basta querer ler algo divertido, cheio de aventuras e muito bem escrito. Mas afinal, unir um escritor maravilhoso com uma seria maravilhosa, só poderia ter resultado nisso: um livro maravilhoso! Super recomendo.

 

No Comments Yet.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *