Na Natureza Selvagem

by

Não sei você, mas quando eu to vivendo uma situação, amo demais ler e ver filmes que tratam sobre o assunto. Assim, nesse cenário de mochilão, acabei iniciando a leitura do livro “Na Natureza Selvagem” do Jon Krakauer.

Sinopse

Depois de terminar a faculdade com brilhantismo, Chris McCandless, jovem americano saudável e de família rica, doa todo o dinheiro que tem, abandona o carro e a maioria de seus pertences, adota outro nome e some na estrada, sem nunca mais dar notícias aos pais. Dois anos depois, aparece morto num lugar ermo e gelado do Alasca. Por onde andou, o que buscava, por que morreu? Quem era realmente Chris McCandless? Para responder a essas perguntas, Krakauer refaz a longa saga do aventureiro até seus triste desenlace. Uma história verdadeira, mas com todos os ingredientes de um romance de ficção.

O verdadeiro Christopher Mccandless

Ao contrário do filme, Na Natureza Selvagem é como um estudo antropológico sobre motivações e aventuras de pessoas fora da curva, que decidem viver suas vidas de forma não tradicional. O livro não ficcional tem como ponta pé inicial a morte de um jovem, Christopher McCandless, que decide viver a aventura de morar no Alasca sozinho e se alimentar apenas do que a natureza dá.

Jon Krakauer, o jornalista responsável por escrever a matéria sobre essa morte, decide ir mais fundo e para isso desenvolve a história referenciando vários casos semelhantes que ocorreram e relembrando também suas próprias aventuras.

O resultado é um livro fluído, inspirador e instigante sobre pessoas que decidem viver suas vidas de modo não convencional. Com frases bem impactantes e descrições de belas paisagens, é um livro que leva seu coração a palpitar.

Há dois anos ele caminha pelo mundo sem telefone, piscina, carros, nem cigarros. A liberdade máxima. Um extremista. Um viajante esteta cujo lar é a estrada. E agora, depois de dois anos errando, vem a última e maior aventura. A batalha culminante para matar o falso ser interior e concluir com vitória, a revolução espiritual. Sem continuar a ser envenenado pela civilização, ele foge e caminha solitário pelo mundo para se perder em meio à natureza.

O mesmo ocorre com o filme feito em 2007, que mesmo focando apenas na aventura do personagem principal, o jovem McCandless, nos enche os olhos com belas paisagens e um modo bem diferente de ver e viver a vida.

No final de ambos, fica aquela instigante vontade de viver a vida se arriscando um pouco mais. Vocês já conheciam algum dos dois? Conhecem filmes ou livros que abordem essa temática?

A felicidade só é verdadeira quando partilhada.

Esse post te inspirou a viajar? Aqui vão uns links que podem te ajudar.

  • Pra pesquisar hotéis, use o booking por esse link e ganhe descontos
  • Se não é cadastrado ainda no Uber, cadastre usando o código: 4zd8ajb6ue e ganhe descontos
  • Aproveita e se cadastra no Airbnb por esse link e ganhe 100 reais de desconto na sua primeira hospedagem
  • Se não é cadastrado ainda no Cabify, cadastre usando o código: amandat633 e ganhe desconto

Me acompanhe das redes sociais:  Instagram Facebook Youtube Twitter

Beijos,

6 Responses
  • Thami Sgalbiero
    Abril 2, 2018

    Uau! Fiquei curiosa pra saber como esse Chris foi parar morto no Alasca e, lendo a sinopse, já sabia que iria ter um “criado por fatos reais” hahaha! Agora quero ler o livro e ver o filme. Sei que tem um cara brasileiro que fez isso, e tem documentário dele no YouTube mesmo, fiz um post sobre (aqui: http://www.likeparadise.com.br/2017/09/observar-e-absorver-eduardo-marinho.html).
    Beijos!

    • Amanda
      Abril 6, 2018

      Menina, é menos emocionante do que você pensa hahaha Que massa, já vou ir conferir seu post! Obrigada pela indicação!

  • Leslie Leite
    Abril 2, 2018

    Uma vez eu comecei a assistir o filme com o meu marido, mas ele disse que estava muito monótono, então paramos no meio e eu não voltei a assistir o filme. Acabei esquecendo, até agora, quando li o seu post, haha.
    Eu não sabia que o filme era baseado em fatos e nem que havia um livro. Acho que agora vou ler o livro antes de terminar de assistir ao filme.
    Beijo!

    • Amanda
      Abril 6, 2018

      HAhahahaha nossa, pior que de certa forma ele é mesmo, um filme bem contemplativo, acho que tem relação com passar o sentimento que ele sentia, sabe? Nada de agitação e velocidade. Leia sim, eu gostei mais do livro do que do filme.

  • Daniella Souza
    Abril 5, 2018

    Oi, Amanda!
    Eu vi o filme e me apaixonei. Chorei horrores. hahaha
    Eu não li o livro e nem lembrava que tinha, mas depois desse post deu vontade de procurar. 🙂
    Beijo

    Canastra Literária

    • Amanda
      Abril 6, 2018

      Ahhh que linda. se você amou tanto o filme, tenho certeza que vai ficar louca pelo livro.
      beijos.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *