Vamos de carona? Manual de como pedir carona sendo uma mulher viajante

Pedir carona não é tão difícil quanto parece e é muito mais enriquecedor do que eu poderia descrever. Aprendi isso indo sozinha de Pelotas até Porto Alegre de carona com um caminhoneiro uruguaio.

A história começou quando eu decidi começar a viajar, e por não ter companhia, fui sozinha.

Ir sozinha me mostrou que eu poderia fazer qualquer coisa. Qualquer coisa mesmo, inclusive pedir carona no meio da estrada.

E por que pedir carona?

Desde que eu aprendi a viajar barato, essa era uma das experiências que eu gostaria de ter. Afinal, viajando aprendemos que existem mais pessoas boas do que ruins no mundo, e tinha certeza que pedir carona me ajudaria a me conectar com pessoas diferentes e ainda economizar para poder viajar mais.

Na minha experiência eu fui de caminhão por 244 km, tomado chimarrão e conversando sobre a vida em espanhol com o caminhoneiro mais gente boa que eu conheci. Segui todas as dicas que estão nesse texto e na minha primeira vez consegui a carona em cinco minutos e cheguei em segurança no meu destino.

Por onde começar?

E eu nunca soube por onde começar, não encontrei o manual de como pedir carona sendo mulher. Minha sorte foi encontrar no meio do caminho duas mulheres maravilhosas que já tinham  pedido carona na estrada e me deram dicas valiosas que fizeram o meu primeiro pedido de carona ter sucesso total. Hoje eu venho aqui ser a amiga doida que já pegou carona e vem compartilhar todas as dicas com você.

 

Antes de pedir carona

  • Cuidado com as roupas: estar em um carro com um estranho é uma situação de extrema vulnerabilidade. Então, para evitar qualquer tipo de interpretações erradas ou situações desconfortáveis, é melhor usar roupas básicas, não muito justas e nem mostrando muito o corpo, como uma calça e uma blusas sem decote;
  • Peça carona próximo a postos da polícia rodoviária: pegar carona envolve riscos para os dois lados, quem pede e quem dá. Se posicionar perto de postos policiais transmite uma segurança maior para quem dá, já que alguém com má intenções não ficaria tão próximo da polícia. Tem o efeito de dissuadir quem tem más intenções, porque você foi visto pela polícia, geralmente tem câmeras próximos e qualquer coisa poderia ser rastreado;
  • Postos de gasolina também são bons pontos: converse com os frentistas, geralmente eles conhecem os caminhoneiros e podem te indicar ou ajudar a conseguir boas caronas;
  • Não peça caronas a noite: precisamos confiar, mas a noite deixa tudo mais vulnerável. Imagina cochilar no carro de um estranho? Realmente não é algo recomendável.
  • Faça trechos curtos: não faça viagens muito longas, porque caso esteja desconfortável será mais complicado sair da situação. Sempre peça carona para trechos menores, de uns 200 km no máximo.
  • Faça sua plaquinha: sim, é clichê, mas fazer a plaquinha com o destino facilita muito para quem dá a carona. Afinal, imagina que saco ter que parar e perguntar pra onde você vai.

 

Durante a carona

  • Ouça sua intuição: a nossa intuição é algo que temos que aprender a entender e ouvir. Na hora de pedir carona a insegurança vai sempre bater, afinal, é uma situação nova e de risco, mas esteja atento para quando você ler coisas que podem ser sinais reais de perigo. Se escute.
  • Anote e compartilhe a placa do veículo com alguém, pode também demonstrar que está fazendo isso para o motorista saber que ele pode ser rastreado.
  • Ligue ou mande um áudio, pergunte o nome do motorista e fale com alguém: diálogos do tipo “oi mãe, to mandando pra você ficar tranquila. To em tal cidade, com a tal pessoa indo para tal lugar”. Isso mostra que tem pessoas cientes da situação e que dariam falta caso você sumisse. Aqui vale também mandar fotos e vídeos para alguém ou até para o instagram, mostre que você é visto.
  • Aproveite a carona, converse e faça amizade. Essa é uma boa oportunidade para conhecer uma pessoa nova e entender o que levou ela a fazer esse gesto solidário por você.

(eu tomei até chimarrão com o caminhoneiro que me deu a primeira carona)

Mas se mesmo assim ainda se sentir insegura, não tem problema! Existem outras formas de viajar de carona, como procurar grupos no Facebook de caronas e usar aplicativos como o Blablacar. Nesses casos provavelmente o motorista vai pedir para dividir os custos da viagem, mas ainda assim barateia a viagem e abre as portas para conhecer muita gente interessante.

Viajar sozinha empodera e nos mostra que tudo é possível. Se está com medo, vai com medo mesmo! Se você seguir sua intuição e todas as dicas, tudo pode dar certo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

você também pode gostar de:

Dias e dias

São tempos sombrios lá fora, mas aqui dentro estou tentando prosseguir. Me propus a aproveitar

Instagram @amanda.telo

____

feito com ♥ por Amanda Teló