CAMINHOS ALTERNATIVOS E

Na natureza selvagem

Não sei você, mas quando eu to vivendo uma situação, amo demais ler e ver filmes que tratam sobre o assunto. Assim, nesse cenário de mochilão, acabei iniciando a leitura do livro “Na Natureza Selvagem” do Jon Krakauer.

Sinopse

Depois de terminar a faculdade com brilhantismo, Chris McCandless, jovem americano saudável e de família rica, doa todo o dinheiro que tem, abandona o carro e a maioria de seus pertences, adota outro nome e some na estrada, sem nunca mais dar notícias aos pais. Dois anos depois, aparece morto num lugar ermo e gelado do Alasca. Por onde andou, o que buscava, por que morreu? Quem era realmente Chris McCandless? Para responder a essas perguntas, Krakauer refaz a longa saga do aventureiro até seus triste desenlace. Uma história verdadeira, mas com todos os ingredientes de um romance de ficção.

O verdadeiro Christopher Mccandless

Ao contrário do filme, Na Natureza Selvagem é como um estudo antropológico sobre motivações e aventuras de pessoas fora da curva, que decidem viver suas vidas de forma não tradicional. O livro não ficcional tem como ponta pé inicial a morte de um jovem, Christopher McCandless, que decide viver a aventura de morar no Alasca sozinho e se alimentar apenas do que a natureza dá.

Jon Krakauer, o jornalista responsável por escrever a matéria sobre essa morte, decide ir mais fundo e para isso desenvolve a história referenciando vários casos semelhantes que ocorreram e relembrando também suas próprias aventuras.

O resultado é um livro fluído, inspirador e instigante sobre pessoas que decidem viver suas vidas de modo não convencional. Com frases bem impactantes e descrições de belas paisagens, é um livro que leva seu coração a palpitar.

Há dois anos ele caminha pelo mundo sem telefone, piscina, carros, nem cigarros. A liberdade máxima. Um extremista. Um viajante esteta cujo lar é a estrada. E agora, depois de dois anos errando, vem a última e maior aventura. A batalha culminante para matar o falso ser interior e concluir com vitória, a revolução espiritual. Sem continuar a ser envenenado pela civilização, ele foge e caminha solitário pelo mundo para se perder em meio à natureza.

O mesmo ocorre com o filme feito em 2007, que mesmo focando apenas na aventura do personagem principal, o jovem McCandless, nos enche os olhos com belas paisagens e um modo bem diferente de ver e viver a vida.

No final de ambos, fica aquela instigante vontade de viver a vida se arriscando um pouco mais. Vocês já conheciam algum dos dois? Conhecem filmes ou livros que abordem essa temática?

A felicidade só é verdadeira quando partilhada.

Esse post te inspirou a viajar? Aqui vão uns links que podem te ajudar.

  • Pra pesquisar hotéis, use o booking por esse link e ganhe descontos
  • Se não é cadastrado ainda no Uber, cadastre usando o código: 4zd8ajb6ue e ganhe descontos
  • Aproveita e se cadastra no Airbnb por esse link e ganhe 100 reais de desconto na sua primeira hospedagem
  • Se não é cadastrado ainda no Cabify, cadastre usando o código: amandat633 e ganhe desconto

Me acompanhe das redes sociais:  Instagram Facebook Youtube Twitter

Beijos,

MAIS PARA LER:

Here we go again

Era 16 de dezembro de 2017 quando eu apertei o REC da câmera porque queria tentar. Tentar ser eu, tentar continuar, tentar mudar. Só sobreviver não tava sendo uma boa escolha. Então eu arrumei minhas malas, saí

O futuro é fluido

Escute esse post  Olá, meu nome é Amanda e eu gosto de tudo. Acho que isso se desenvolveu quando eu decidi blogar lá em 2010, naquela época como um hobbie mesmo. Aí eu tinha que fazer

Inquieta

Hoje eu acordei inquieta. Geralmente quando me sentia assim eu escrevia, mas já faz tanto tempo que eu nem sei mais se sei fazer. Será que escrever é como andar de bicicleta? Vamos descobrir.      Acordei

6 respostas

  1. Uma vez eu comecei a assistir o filme com o meu marido, mas ele disse que estava muito monótono, então paramos no meio e eu não voltei a assistir o filme. Acabei esquecendo, até agora, quando li o seu post, haha.
    Eu não sabia que o filme era baseado em fatos e nem que havia um livro. Acho que agora vou ler o livro antes de terminar de assistir ao filme.
    Beijo!

    1. HAhahahaha nossa, pior que de certa forma ele é mesmo, um filme bem contemplativo, acho que tem relação com passar o sentimento que ele sentia, sabe? Nada de agitação e velocidade. Leia sim, eu gostei mais do livro do que do filme.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CAMINHOS ALTERNATIVOS E OUTRAS HISTÓRIAS

INSTAGRAM

Feito com ❤ por Amanda Teló