escrever

Inquieta

Hoje eu acordei inquieta. Geralmente quando me sentia assim eu escrevia, mas já faz tanto tempo que eu nem sei mais se sei fazer. Será que escrever é como andar de bicicleta? Vamos descobrir. 

 

 

Acordei e já era quase meio dia, peguei o celular e me dei conta que o calendário marcava dia 15 de novembro. Ual. Vocês também sentiram que esse passou extremamente rápido?

Só em 2018 eu trabalhei em 3 empresas, me demiti de duas delas, saí pra um mochilão, amei intensamente um cara, depois outros e agora talvez outro.

Fiz muitos novos amigos, desisti de vários outros e me aproximei de uns tantos.

Esses dias eu meditei e senti cada parte do meu corpo, outros dias eu viajei e descobri como tudo isso em mim se conecta com tudo isso em você.

Hoje mesmo eu me lembrei do porque amo a arte, ao ler um texto de 3 anos atrás que me fez sentir exatamente o que eu sentia quando o escrevi.

Outros dias eu amei só poder contemplar a vista do céu e o sorriso das pessoas que eu amo.

Sei lá, tá tudo acontecendo mas tudo parece tão leve, tão certo, tão simples apesar de complexo, longo e bagunçado. É difícil expressar algo tão abstrato, algo que simplesmente é. Mas é.

 

Eu tive que me perder pra ver que tudo bem mudar de planos, tudo bem não ter certeza de tudo, tudo bem. É necessário ter metas, é necessário almejar coisas, mas é fundamental saber que a vida é mais sobre o caminho do que sobre o destino.

A sensação é de quando você está indo até uma praia, mas você olha pro lado e tudo no caminho é tão bonito quando a praia.. Os lagos, as trilhas, a vista da ponte, as outras praias que existem antes, o céu, a brisa que refresca, a pessoa que está ao seu lado, o silencio e o som. Lá na verdade pode ser qualquer um desses lugares.

E eu queria voltar, voltar a registrar toda uma vida de acontecimentos, pra nunca esquecer que viver é sobre isso, curtir a jornada, ter medo e isso não te travar,  se arriscar, se deixar ir, escolher ir, só ir. E eu vou continuar indo.

LEIA OUTROS ARTIGOS

Querida Amanda,

Querida Amanda de 22 anos, você não faz ideia das coisas loucas que aconteceram até agora. Dois anos nos separam, mas parece que foi uma vida. Vou te dar alguns spoilers: sabe essa angustia que você tá

A gente sempre merece mais uma chance

Era 16 de dezembro de 2017 quando eu apertei o REC da câmera porque queria tentar. Tentar ser eu, tentar continuar, tentar mudar. Só sobreviver não tava sendo uma boa escolha. Então eu arrumei minhas malas, saí

O futuro é fluido

Escute esse post  Olá, meu nome é Amanda e eu gosto de tudo. Acho que isso se desenvolveu quando eu decidi blogar lá em 2010, naquela época como um hobbie mesmo. Aí eu tinha que fazer

DEIXE SEU COMENTÁRIO

11 respostas

  1. Que post mais inspirador! Eu acho que aprendi muito sobre viver a jornada e não ficar com o olho, o cérebro e o coração lá no destino final de algo. É algo para aprender no dia a dia, se manter presente, se conectar com o todo! Espero mais posts por aqui <3
    Um beijo!

  2. Sim! Esse ano voou muito! No começo confesso que pensei que iria demorar muito, mas até que foi tranquilo e me trouxe algumas coisas boas (aquela louca que já tá fazendo as resoluções do ano, haha!). Nossa, entendo bem isso. Tive que perder pra ver que tudo bem mudar. Viajei e fiquei fora do Brasil por 1 mês, levei poucas péssimas de roupa e mesmo as poucas peças de roupa, teve umas que nem usei. Uma coisa que reparei é que tenho muita roupa no meu armário que eu nem uso e que preciso me desfazer da maioria delas, esse final de ano vai ser grande o saco de doação que vou fazer das minhas roupas, haha! Queria aprender a viajar sozinha como você fez, pra poder me reencontrar. Pelo amor, faz um post ensinando isso ou vem falar comigo por alguma redes social qualquer que tenha caixa de mensagens pra me ensinar a como viajar sozinha sem medo. Hahaha!

  3. “Eu tive que me perder pra ver que tudo bem mudar de planos, tudo bem não ter certeza de tudo, tudo bem. É necessário ter metas, é necessário almejar coisas, mas é fundamental saber que a vida é mais sobre o caminho do que sobre o destino.” Esse parágrafo me levou para o momento em que sai da faculdade e, de brinde, em meio a tanta dor e tristeza, eu me redescobri e me reinventei. As palavras têm essa magia, né?

  4. “É necessário ter metas, é necessário almejar coisas, mas é fundamental saber que a vida é mais sobre o caminho do que sobre o destino.” – eu até arrepiei com essa parte, porque isso é tão eu, que nem sei o que dizer, só sentir! haha

    Vi que você deu um pulinho lá no meu mundinho cibernético hihi, e antes mesmo de sair do trabalho resolvi conferir quem estava deixando aqueles comentários super lindos. Esse aqui foi o primeiro texto que li no seu blog, e nossa, eu tenho CERTEZA de que somos mesmo parecidas em muitos aspectos.

    Já estou me sentindo em casa hehehe

    Lindas palavras e uma reflexão incrível sobre a vida. Compreendo perfeitamente essa volatilidade, que apesar de nos enlouquecer vez ou outra, também comove a nossa alma de um jeito que é impossível não ser assim.

    Obrigada por esse post, e já adianto um agradecimento aos próximos que lerei, pois tenho certeza de que irei gostar de tudo por aqui.

    Beijos de luuuuuz!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CAMINHOS ALTERNATIVOS E OUTRAS HISTÓRIAS

INSTAGRAM

Feito com ❤ por Amanda Teló

pt_BRPortuguês do Brasil
en_GBEnglish (UK) pt_BRPortuguês do Brasil